sexta-feira, 29 de agosto de 2014

HORMÔNIOS BIOIDÊNTICOS E PRO HORMONAL E SEUS EFEITOS

HORMÔNIOS BIO IDÊNTICOS
 Com o aumento da expectativa de vida do brasileiro e o crescimento do número de idosos no 
país, cada vez mais médicos e especialistas se deparam com questões relacionadas às terapias contra o envelhecimento. Dessa forma, Uma delas é a reposição hormonal. Muito se fala, hoje, dos chamados Hormônios Bioidênticos, substâncias hormonais que possuem exatamente a mesma estrutura química e molecular encontrada nos hormônios produzidos no corpo humano. A nomenclatura, no entanto, está sendo utilizada, indevidamente, apenas para os hormônios manipulados, como se fossem novas opções de tratamento quando, na verdade, há muito tempo hormônios bioidênticos são produzidos em indústrias farmacêuticas e estão disponíveis nas farmácias.
Para o Dr. Ricardo Meirelles, o uso do termo vem sendo feito com objetivos evidentemente comerciais, como uma forma de marketing. "Na realidade, quando um endocrinologista prescreve tiroxina (hormônio tiroidiano), estradiol e progesterona natural (hormônios ovarianos), testosterona (hormônio masculino), hormônio do crescimento e outros, está receitando hormônios bioidênticos, no sentido de que são hormônios cuja fórmula molecular é igual à dos produzidos pelo corpo humano", afirma.
De acordo com a Dra. Ruth Clapauch*, o uso dos bioidênticos pode ser apropriado, porém devem ser utilizados com cautela. "Eles são importantes para controlar os níveis hormonais no organismo, repondo o que falta no nosso corpo, mas somente um endocrinologista estará apto para receitá-los de maneira correta, na dose ideal, evitando complicações futuras", afirma. Para ela, médicos devem estar atentos e dar preferência na prescrição médica a produtos produzidos com tecnologia de ponta e não artesanalmente, onde possa estar garantido o grau de pureza, dosagem, estabilidade, absorção, eficácia e segurança. "Fórmulas manipuladas podem apresentar diferenças em relação a substâncias testadas pela indústria farmacêutica, que passaram por estudos em laboratório, em animais e em pessoas antes que fossem aprovadas  para comercialização", afirma.
A doutora relembra o posicionamento Sociedade de Endocrinologia dos Estados Unidos. Ele adverte que a fabricação individualizada de um hormônio, a tal "customização", é praticamente impossível de ser alcançada "porque os níveis de hormônio no sangue são difíceis de medir e regular devido às variações fisiológicas". Além disso, segundo o posicionamento, não há estudos que atestem os benefícios e riscos dos bioidênticos manipulados.
A especialista concorda com o texto. "Muitos dos manipulados não são controlados pelos órgãos de vigilância sanitária, ao contrário daqueles fabricados pelos grandes laboratórios, que foram testados e estudados", afirma. "Comhormônios industrializados, fica mais fácil para que o endocrinologista individualize a reposição hormonal, já que não existem oscilações nem inconsistência na quantidade das substâncias", completa.
Embora muitos médicos defendam que os bioidênticos sejam a chave para reduzir o processo de envelhecimento do corpo de maneira natural, nada está comprovado cientificamente e a população deve tomar cuidado com tais promessas. "Alguns especialistas defendem o fato de que os bioidênticos manipulados são naturais e, por causa disso, o organismo seria capaz de metabolizá-lo da mesma forma que faria com um hormônio do próprio corpo. No entanto, eles são produzidos de maneira artificial, e sofrem alterações em sua estrutura química", alerta a Dra. Ruth.
(*)Dra. Ruth Clapauch
Formação
Residência médica + curso de especialização em Endocrinologia (IEDE)
Título de especialista em Endocrinologia
Mestrado (UFRJ) e Doutorado (UERJ)
Professora de pós graduação em Endocrinologia

Atualmente é vice-presidente do Departamento de Endocrinologia Feminina e Andrologia, já tendo sido presidente deste Departamento em 2 gestões
Membro da Comissão de Educação Médica Continuada da SBEM
Autora de diversos artigos em revistas científicas nacionais e internacionais sobre reposição hormonal

A verdade sobre os Pré e Pró-Hormonais

Quem pensa que isto é um assunto novo esta  muito enganado. Em  meados dos anos 80 quando comecei a treinar sério na  “pumping iron” ,em Copacabana ,RJ, usávamos para TPC(terapia pós ciclo) o  Pregnyl que  é um preparado de gonadotrofina coriônica humana, retirado da urina de mulheres grávidas e muito útil para o usuário do sexo masculino . O seu  uso tem como objetivo estimular a produção de testosterona endógena. A atividade do HCG no corpo masculino é devido à sua capacidade de imitar LH (hormona luteinizante), um  hormônio da  pituitária que estimula as células de Leydig nos testículos para fabricar a testosterona. A Restauração da produção endógena de testosterona é uma preocupação especial no fim de cada ciclo de esteroides .Nesta época usávamos também chá de salsaparrilha.Um detalhe engraçado sobre este chá é que ele era achado em Copacabana com mais facilidade em casas de produtos para espiritismo e era engraçado vários fisiculturistas entrando juntos em casas de produtos espiritas e comprando todo o estoque de chá de salsaparrilha.
Pregnyl
A salsaparrilha aumenta a testosterona endógena pela presença do princípio nativo “Saponinas esteroidais”. Mas voltando aos tempos atuais, vejo nas academias uma grande discussão entre pré-hormonais e pró-hormonais. Qual é o melhor? Qual produz um melhor efeito? Qual é menos tóxico? etc. Em primeiro lugar vamos entender o que  são  PRÉ HORMONAIS E PRÓ HORMONAIS.
Os PRÉ-HORMONAIS são SUPLEMENTOS alimentares que estimulam o corpo a produzir ou aumentar a produção de seus próprios hormônios; não são substâncias que serão convertidas diretamente em hormônios.Eles são elevadores naturais da testosterona. Temos como exemplo: Tribulus terrestris, Maca Peruana, Yohimbe,  Recycle .
tribulus
Os PRÓ-HORMONAIS são percursores de hormônios e são utilizados para aumentar significativamente a quantidade de hormônios disponíveis  no corpo, o que leva a grandes ganhos de massa MUSCULAR. Para se utilizar os pró-hormonais é  necessário proteger o fígado e fazer TPC após o uso. Particularmente não vejo muita vantagem na utilização dos pró-hormonais em relação aos  hormônios anabolizantes, pois ambos param a produção endógena e atacam o fígado, sendo que nos hormônios anabolizantes  você tem pelo menos controle da dose administrada de forma exata, já nos pré -hormonais não há controle de quanta testosterona você irá converter. Temos como exemplo de alguns pró –hormonais: M-drol, Halovar, Trenevol.
m-droltrenevol
Espero que você continue gostando de minhas dicas e lembro que não estou incentivando ou recomendando o uso de nenhuma substância, apenas dividindo minha experiência e conhecimento. Bons treinos e até a próxima!
 FONTE: MARCOS JORDÃO  Atleta de bodybuilding na categoria Master Pesada da IFBBRIO.


PRO HORMONAL
 O uso dos SUPLEMENTOS alimentares virou moda nos últimos anos pelos adeptos da musculação, não é novidade. Porém, o uso de pró-hormonais, que se transformam em esteroides anabolizantes no organismo, está sendo cada vez mais procurado.
A venda desse tipo de produto no Brasil é proibido, entretanto, a venda de forma clandestina ocorre sem nenhum problema. O que acontece é que muitas pessoas utilizam este tipo de medicamento, sem saber que não são SUPLEMENTOS alimentares. 
A endocrinologista Talliana Medeiros, que atua em Mossoró, explicou que o uso deste tipo de medicamento é semelhante aos esteroides anabolizantes injetáveis, sendo assim prejudicial à saúde. De acordo com Talliana, sintomas como falta de apetite sexual, ginecomastia (nome dado ao crescimento das mamas nos homens devido a patologias, geralmente associadas a desequilíbrios hormonais), impotência sexual, entre outros, são comuns por quem usa os pró-hormonais.
"Os pro-hormonais são medicamentos que depois de ingeridos são metabolizados no corpo e transformados em esteroides anabolizantes, portanto, eles têm a mesma ação dos anabolizantes orais ou injetáveis e agem da mesma forma. As pessoas que usam, geralmente utilizam a medicação a longo prazo. Os principais efeitos são: ginecomastia, impotência e queda de apetite sexual, dor de cabeça, agressividade, queda de cabelo, lesão hepática ou renal, parada do crescimento com baixa estatura e aumento de pressão arterial. Todos os sintomas podem reversíveis ou não, dependendo do caso", explicou.
Os pró-hormonais mais conhecidos e buscados são: m-drol, halovar e reign dark cyde. Após usar este tipo de medicamento, o usuário tem que fazer uso da Terapia pós-ciclo, que de acordo com os vendedores, ajuda a reverter os efeitos colaterais. A venda do pró hormonal juntamente com a terapia pós ciclo ultrapassa o valor de R$ 250,00. 
Ao ser questionada se o uso desta terapia ajuda a reverter os efeitos colaterais, Talliane explicou que vai depender de cada organismo, mas que, provavelmente os efeitos colaterais vão permanecer. 
"Isso vai depender muito de cada caso. Depende de dose, tempo de uso e resposta individual. Cada individuo é um indivíduo. Como esses medicamentos se transformam em esteroides anabólicos em nosso corpo, quando para o uso a pessoa pode ter sintomas de deficiência hormonal, não por estar realmente com deficiência, mas sim por sair de um excesso hormonal. O risco maior está na permanência dos efeitos colaterais", alertou.
Este tipo de medicamento não pode ser prescrito por nenhum médico, e por isto, a sua venda é ilegal. Porém, certos tipos de anabolizantes podem ser indicados caso seja constatado a deficiência hormonal. "O uso de anabolizantes é arriscado e só deve ser prescrito quando confirmada a deficiência hormonal, e mesmo assim, o acompanhamento deve ser feito para evitar excesso de dose. Esses pro-hormonais só são encontrados no mercado negro, pois não há indicação médica para o uso deles. Esses medicamentos não são receitados por endocrinologistas. Se a taxa hormonal estiver realmente baixa é prescrito o próprio hormônio e não seus precursores", finalizou.


Arrependimento

A maior propaganda dos pró-hormonais é encontrada facilmente na internet. Páginas no Facebook, perfis no Twitter, e até, comunidades no 'extinto' Orkut, ainda existem para comentar o uso deste tipo de medicamento. Em uma das comunidades do Orkut, Gleydson Moreira, se mostrou arrependido por ter usado o Halovar, um dos pró-hormonais mais conhecidos do momento. 
Veja o depoimento.

"Amigos, treino a um bom tempo e sempre levei a sério em conjunto com alimentação e um parceiro de treino que, no caso, é meu personal training. Meu intuito aqui não é fazer medo ou dar sermão e sim deixar um alerta para o uso dessas drogas. Desde o início eu tinha muito bons ganhos treinando sem anabolizantes e depois de pesquisar bastante decidi usar alguns pró-hormonais, que já foi uma burrice sem tamanho por ser oral. Tive excelentes ganhos, mas, nada disso valeu a pena. Mesmo com a administração da( T.P.C - terapia pós ciclo) - após o uso, veio inúmeros colaterais e estou sofrendo bastante com eles agora e que com sorte não me custará a vida. Quer crescer com "bomba" procura pesquisar 1000 vezes a mais do que você sabe e de preferencia utilize a injetável, mas, o meu conselho seria nunca utilizar tais drogas. A gente que treina tem que entender e nos satisfazer com o nosso biótipo que pode ser Endo, Ecto ou Meso. O que vier é lucro... Treinar tem que ser por gosto e não em busca do culto ao corpo.. Eu pensava que tudo isso que passava em algumas redes de tv não passaram de baboseira e hoje estou pagando por isso.. Cuidado! Saúde é uma coisa que a gente só aprende a dar valor quando perde, e quando perde, ela dificilmente volta", lamentou.
Ainda no tópico, ao ser questionado por outros usuários quais os efeitos colaterais que estava sentindo, Gleydson confirmou o que a endocrinologista Talliane alertou no início da matéria. 
"Dores no estômago, refluxo, gastrite muito forte, exame de sangue totalmente alterado... Resumindo, PH é uma b... Quer bombar com responsabilidade, vai para os injetáveis. Mas, sinceramente, hoje em dia eu vejo de outra forma. Procuro me contentar com meu biótipo e entender que só vou até ali. Anabolizantes não valem a pena mesmo. Eu que tinha a saúde de ferro, para ganhar dois ou três quilos tive que sacrificar isso; não vale a pena. Um abraço a todos os marombas e bons ganhos”, finalizou.
FONTE: MOSSORÓ   28/08/2012 

ATENÇÃO: CUIDADO COM AS PROPAGANDAS, NEM SEMPRE O QUE PARECE SER BOM, PODE SE EFICIENTE PARA SEU ORGANISMO.


Contato: 
email:lucianofisiol@gmail.com
facebook: luciano sousa luciano sousa


Postar um comentário