quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Suplemento de cálcio pode entupir as artérias

O excesso do mineral endurece as placas de gordura no sangue e contribui para um aumento do risco de doenças cardiovascularespor Caroline Randmer


O Centro Alemão de Pesquisa do Câncer acompanhou cerca de 24 mil indivíduos durante mais de dez anos. Eles foram divididos entre pessoas que consumiam cálcio em pílulas e pessoas que não suplementavam o mineral. O primeiro grupo apresentou uma probabilidade 86% maior de sofrer um ataque cardíaco. "O risco de infarto aumenta quando a ingestão de cálcio ultrapassa o limite de 1 grama por dia", explica o ginecologista e obstetra Bruno Muzzi, presidente da Associação Brasileira de Avaliação da Saúde Óssea e Osteometabolismo. Isso porque uma dose excessiva do nutriente calcificaria as placas de gordura, tornando-as mais propícias a gerar entupimentos nos vasos. Vale lembrar que a quantidade de cálcio encontrada na alimentação não oferece risco.

Quem deve suplementar Os comprimidos de cálcio são indicados para pessoas com osteoporose, mas também podem ser prescritos para quem não consegue obter o aporte diário do mineral por meio da dieta, como os intolerantes à lactose - ainda assim, esses indivíduos podem buscar fontes alternativas na alimentação.



Mocinho ou vilão?
Entenda como o mineral capaz de fortalecer os ossos prejudica o coração em alguns casos 
1. Ingestão Um simples comprimido libera grandes quantidades de cálcio no organismo. Depois de absorvido, o nutriente cai na corrente sanguínea e percorre o corpo atrás de seu objetivo: o de proteger a massa óssea.

2. Calcificação No meio do caminho, as células musculares presentes nas artérias sequestram o excesso do mineral circulante e o direciona para a placa de gordura, localizada em um compartimento íntimo, abaixo do endotélio. Daí em diante, a massa gordurosa cresce e endurece.

3. Ruptura As paredes arteriais se tornam instáveis e podem até se romper quando não suportam mais a pressão da gordura endurecida. O coração deixa de receber o fluxo sanguíneo necessário para funcionar e aí o ataque cardíaco dá as caras.

Fonte Vera Lúcia Portal, cardiologista do Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul | ilustração Jhonata Alves

Estudo contraindica consumo diário de vitamina D e cálcio por mulheres saudáveis após a menopausaSuplementos de cálcio e vitamina D podem causar pedras nos rins, por isso só devem ser usados em casos de osteoporose ou quando há deficiência dos nutrientes, segundo os pesquisadores

Uma força-tarefa do governo norte-americano recomendou formalmente em fevereiro que mulheres saudáveis na pós-menopausa evitem tomar doses diárias de vitamina D e cálcio para se protegerem de fraturas ósseas.
O grupo, chamado Força-Tarefa de Serviços Preventivos dos Estados Unidos, que é um júri independente de especialistas em prevenção e cuidados de saúde primários, baseou suas recomendações em extensas revisões de mais de uma centena de estudos.
Eles caracterizam doses baixas como 400 unidades internacionais ou menos de vitamina D e 1000 miligramas ou menos de cálcio. A ingestão desses valores diariamente, de acordo com as recomendações da força-tarefa, "não apresenta nenhum benefício líquido para a prevenção primária de fraturas".
Mas existem boas evidências, disse o grupo, de que essa ingestão pode aumentar a probabilidade de pedras nos rins.
A força-tarefa também analisou o uso dos suplementos em mulheres na pré-menopausa e em homens. O grupo concluiu que não era possível "avaliar o equilíbrio dos benefícios e malefícios" do uso de suplementos para prevenir fraturas nesses grupos.
As recomendações, porém, não se aplicam à pessoas com osteoporose ou deficiência de vitamina D, segundo a força-tarefa.
fonte:Anahad O'connor The New York Times 01/03/2013

Os suplementos de cálcio, zinco e magnésio e seus efeitos colaterais


Escrito por Stephanie Chandler Traduzido por Ana Angelica Clemente
         
Vitaminas e minerais são importantes para o cuidado diário da saúde. A maioria dos indivíduos saudáveis ingere a quantidade recomendada de vitaminas e minerais através de uma dieta saudável, que inclui cálcio, magnésio e zinco. Às vezes, um suplemento adicional pode ser necessário, entretanto, o consumo excessivo destes suplementos pode causar reações indesejáveis.


Cálcio


bodegon de alimentos de desayuno sano image by Gabriel Gonzalez G. from Fotolia.com

O cálcio é um nutriente essencial que não é produzido pelo organismo. Deve ser ingerido através de uma alimentação saudável ou via suplementos. O cálcio ajuda a regular o batimento cardíaco, estimula as secreções hormonais, conduz os impulsos nervosos, ajuda na coagulação do sangue e constrói ossos saudáveis. Embora a comida seja a melhor fonte de aquisição de cálcio, os suplementos são necessários para atingir a dose diária recomendada de 1.000 a 1.200 mg. Embora pequenos, os suplementos de cálcio por via oral pode causar efeitos colaterais como gases e constipação. Para combater estes efeitos deve-se aumentar a ingestão de água e adicionar fibras à sua dieta. O cálcio pode ser tomado sozinho ou de forma composta como o citrato de cálcio, fosfato de cálcio ou carbonato de cálcio. Cada um vai reagir de maneira diferente em seu corpo.

Magnésio


bodegon de alimentos de desayuno sano image by Gabriel Gonzalez G. from Fotolia.com

Indivíduos saudáveis não precisam repor magnésio através de suplementos. O magnésio é naturalmente encontrado nos vegetais, folhas verdes, cereais integrais e nozes. No entanto, quando se esgota devido a uma doença, a reposição via suplementos é necessária. A dose diária recomendada para adultos é de 270 mg a 400 mg, dependendo do sexo. Suplementos de magnésio podem causar diarreia temporária, que geralmente cessa quando o corpo se ajusta aos suplementos. Em casos raros, os efeitos colaterais podem incluir vermelhidão, tontura e dificuldade de respiração. Se sentir algum destes efeitos, consulte o seu médico imediatamente.

Zinco


bodegon de alimentos de desayuno sano image by Gabriel Gonzalez G. from Fotolia.com

O zinco é um nutriente importante para a saúde e o crescimento. Sua deficiência pode causar má visão, dificuldade de cicatrização e uma incapacidade para combater infecções. A dose diária recomendada é de 12 mg para mulheres e 15 mg para os homens. Os efeitos colaterais são raros quando existe a suplementação de zinco mas podem ocorrer calafrios, úlceras na boca, febre, azia, indigestão, náuseas, dores de garganta ou fraqueza. Se estes efeitos permanecerem ou piorarem com o tempo, consulte o seu médico.

Overdose

A maioria das pessoas acredita que os riscos em se tomar suplementos vitaminícos seja pequeno. Embora a margem de segurança seja grande, a overdose trará riscos e indesejáveis efeitos colaterais como tonturas, desmaios, falta de ar, desaceleração ou irregularidade dos batimentos cardíacos

Precauções

Os suplementos de cálcio podem interferir na absorção do antibiótico tetraciclina. Não tomar cálcio se estiver tomando este medicamento. O cálcio também interfere na absorção de ferro, os dois suplementos não devem ser tomados ao mesmo tempo. De acordo com um estudo da Universidade de Auckland, Nova Zelândia, doses elevadas de cálcio podem aumentar o risco de ataque cardíaco, Suplementos de magnésio podem aumentar os sintomas de doença cardíaca. Tomar magnésio em demasia pode acarretar uma hipermagnesemia (excesso de magnésio no sangue), que pode causar danos tais como doenças renais. O zinco não será bem absorvido se ingerido em conjunto com alimentos como o farelo de trigo, leite, aves, pães integrais e cereais. Não tome suplementos de zinco com fósforo, cobre ou ferro. Se você tem deficiência de cobre, consulte o seu médico. Tomar suplementos de zinco podem agravar esta condição.

e-mail:lucianofisiol@gmail.com
 facebook: luciano sousa luciano sousa

Postar um comentário